segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Treinamento acessibilidade atitudinal Rock in Rio 30 anos

30 anos de Rock in Rio!


            Agora, nesse aniversário de 30 anos do mágico evento Rock in Rio, venho dividir com todos a alegria/emoção de estar fazendo parte da equipe de treinamento dessa internacional organização.


            No dia 1º de agosto de 2015, fiz o inicial contato com o grupo de líderes que embalará o conjunto de pessoas que recepcionará o público nessa edição 30 anos. Fiz um preâmbulo focando na ética e na solidariedade para a boa e justa acolhida dos humanos diferentes.


            A equipe Rock in Rio demonstrou ter vestido a camisa da causa das pessoas com deficiência. Claro que Jimmy Prates (meu pessocão) roubou a cena, despertando nos mais de cinquenta líderes os mais nobres sentimentos.


            Agradeço, igualmente, ao grande líder, quem seja o Professor Edmour Saiani (empresa Ponto de Referência) que, gentilmente, cedeu vinte minutos do seu tempo de fala para que eu pudesse fazer a minha abertura/chamada para o próximo sábado.


            No dia 8 próximo as palestras continuarão, ocasiões em que a minha militância levará aos corações dos voluntários elementos suficientes, a fim de que revejam a cruenta história que a civilização escreveu acerca das pessoas com deficiência, calcada, tão-só, em seus estereótipos.


            Tenho em mente oportunizar a cada ser com os necessários exercícios de acessibilidade atitudinal, a revisão e a reconsideração dos ultrapassados conceitos e preconceitos que recaem sobre o seguimento das pessoas com deficiência.


            Agradeço aos Srs. Gestores da organização Rock in Rio, em especial ao coordenador Márcio Cunha, a chance que me fora dada de integrar a seleta equipe de treinadores dos corações roqueiros, numa nova tentativa de propiciar a igualdade de tratamento aos consumidores - com e sem deficiência - que irão comemorar a edição 30 anos do fascinante Rock in Rio.


            Deixo para a reflexão de todos um maravilhoso pensamento do Professor Boaventura de Souza Santos:


"Temos o direito de ser iguais quando a nossa diferença nos inferioriza; e temos o direito de ser diferentes quando a nossa igualdade nos descaracteriza. Daí a necessidade de uma igualdade que reconheça as diferenças e de uma diferença que não produza, alimente ou reproduza as desigualdades".



            Curtam as fotos dos momentos de exercícios de acessibilidade atitudinal!




            Carinhosamente. DEBORAH PRATES.









Deborah e o palestrante Edmour Saiani (empresa Ponto de Referência)

6 comentários:

  1. Amiga como fico FELIZ com seus avanços e todas as conquistas não somente para o seu bem estar, mas para todos nós seres humanos que precisamos urgentemente ampliar nossa visão para o mundo e principalmente para o mundo do outro! Te admiro muito e tenho um orgulho imenso de ser sua amiga. Que tua coragem e tua determinação contagie cada vez mais novos corações para esta questão tão importante para a transformação e transmutação da dor em AMOR! Te amo! Com carinho e grande respeito - Sua amiga baiana Kátia Franco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queridíssima amiga Kátia, penso que o maior ganho que tive naquele congresso em Brasília, onde nos conhecemos, foi a sua amizade. Você é maravilhosa e, com o seu trabalho também humanitário, faz a diferença para um Brasil melhor e com menos preconceito. Em setembro próximo estarei lançando o meu primeiro livro intitulado: acessibilidade atitudinal. A sua presença seria divina. Quem sabe?! Carinhosamente. Deborah Prates.

      Excluir
  2. Parabéns a você, com certeza, mas extensivos à equipe organizadora do Rock in Rio, por sua visão profissional relativa à inclusão de pessoas com deficiência.
    Antonio Borges

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido e amado mestre Antonio Borges, obrigada. Concordo com você quanto a atitude da equipe Rock in Rio em incluir as pessoas com deficiência em sua equipe de treinamento. Penso que teremos uma bacana edição 30 anos desse mágico evento. Carinhosamente. Deborah Prates

      Excluir
  3. Oi Debora, Não encontro nenhuma informação sobre a acessibilidade no Rock In rio. na ultima edição foram disponibilizados carros adaptados para deficientes que assim como eu não conseguem caminhar longas distancias e vão depender do transporte publico para chegar ao local. Como as ruas vão estar interditadas, a ida do Rio 2 até a Cidade do Rock é longa. Meu email soares.suzana@gmail.com
    Você pode me ajudar com essas informações ?

    ResponderExcluir